Publicidade

Arquivo da Categoria Liverpool

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011 Aston Villa, Liverpool, Premier League | 14:50

Dalglish e Bent ao resgate

Compartilhe: Twitter

Olá, amigos. Com muita satisfação, inicio um novo trabalho no iG, grupo que há vários anos assume a responsabilidade de acompanhar os esportes de perto e em duas vertentes: informando e trazendo discussões à tona. A partir de hoje, esta página será frequentemente atualizada com análises e curiosidades envolvendo as disputas, os clubes e os personagens que, de alguma forma, contribuem à construção do cotidiano do futebol inglês. Espero fazer jus à importância do espaço, tão bem conduzido pelo Rogério Andrade nos últimos anos.

Para iniciar, vamos repercutir os primeiros indícios de que Liverpool e Aston Villa devem passar longe da corrida contra o rebaixamento da Premier League.

Em Anfield, o espírito do treinador Kenny Dalglish é adequado às necessidades do time. “Sinto-me privilegiado por ter sido convidado. Se eu puder ajudar o Liverpool em uma fração do quanto este clube ajudou a mim e à minha família, ficarei satisfeito”, disse o escocês, antes do recomeço, há duas semanas. Dalglish é o maior jogador da história dos Reds e, quando chegou ao Merseyside, em 1977, já era um dos grandes do Celtic em todos os tempos.

Kenny Dalglish e Alex Ferguson: velhos conhecidos

Como treinador, Kenny conquistou os três últimos campeonatos nacionais do Liverpool e, em 1995, desbancou o United de Ferguson com o Blackburn de Sutton e Shearer. Por ora, nada disso pode lhe tirar o estigma de treinador ultrapassado, que não exercia a função há 11 anos. Mas abre espaço para, em contraste com a humildade e o entusiasmo característicos diante dos microfones, agir firmemente e fazer as mudanças necessárias. Sim, o Liverpool que perdeu para o Blackpool e empatou com o Everton já era o time de Dalglish. Assim como o que passou por cima do Wolverhampton (para quem perdeu em Anfield, com Hodgson), no Molineux, após 13 dias de trabalho.

Sem Gerrard, os reparos foram providenciais. Konchesky era um desastre, e Raul Meireles, subutilizado como volante defensivo. Dalglish promoveu o ótimo jovem lateral-direito Martin Kelly, deslocou Glen Johnson à esquerda e adiantou Meireles para aproveitar sua precisão nas assistências e em finalizações longas. A defesa, ainda que sujeita a velhos lapsos, está mais segura, e o português, o grande jogador dos Reds na semana passada, impulsionou também a melhora de Torres. Com 29 pontos e na 11ª posição, o Liverpool ainda parece precisar dos três reforços especulados (Warnock, Adam e Suárez) para brigar por Europa, mas o rebaixamento deve ser descartado em breve.

Com O'Neill, Bent teria sido a diferença entre Liga Europa e Champions

A situação do Aston Villa, com quatro pontos a menos, não é tão simples. No entanto, após o esforço financeiro por Darren Bent (que pode chegar a £24 milhões), Houllier ganha opções e o melhor atacante do clube desde Dwight Yorke. Se mantiver a formação ofensiva que batalhou muito para vencer o Manchester City no sábado, o treinador francês montará um time ainda mais rápido que o de Martin O’Neill na temporada passada. Quando Downing chegou a Birmingham, O’Neill deslocou Milner à meia central, ao lado de Petrov, e abriu Ashley Young e o próprio Downing. Contra o City, Downing foi quem jogou com Petrov, enquanto Albrighton e Agbonlahor foram os wingers. Com Young livre para atacar e Bent na área, saiu o gol da primeira grande vitória de Houllier no Villa Park.

A defesa, longe daquela que foi a melhor da liga por algum tempo em 2009-10 (antes de sucumbir em Stamford Bridge), e o elenco curto, sobretudo na meia central, são entraves significativos a uma eventual grande reação. Por enquanto, o objetivo mais realista é abrir vantagem para a zona de rebaixamento. Mas, com Bent e muita velocidade, Houllier pode dormir mais tranquilo, sem a necessidade de, toda semana, jogar a garotada ao fogo.

Volto mais tarde.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. Última