Publicidade

Posts com a Tag 4-4-2 diamond

segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Man Utd, Newcastle | 15:22

À italiana

Compartilhe: Twitter

Formações iniciais em Newcastle 0 x 3 MU

A vitória por 3 a 0 sobre o Newcastle, em St. James’ Park, marcou a melhor atuação do Manchester United na temporada. O conjunto de Alex Ferguson contou com dois gols a partir de escanteios para decidir o confronto, mas o placar foi mais um prêmio à pressão exercida nos primeiros minutos do que uma casualidade. No início da partida, o United flertou com 80% de posse de bola.

Ferguson buscava exatamente isso quando montou o time no 4-3-1-2, com um losango (ou diamante) à italiana no meio-campo. Foi a primeira vez que o United atuou assim no campeonato, mas a formação já havia sido testada nos confrontos contra Newcastle, na Capital One Cup, e Cluj, na Champions League. Ao site do clube, o treinador apontou a possibilidade de o diamante ser utilizado com alguma frequência nesta temporada.

O 4-3-1-2 dá certo no United, mas vale sempre lembrar que uma formação é “melhor” do que outra apenas em determinados contextos. O losango no meio-campo passa a ser uma alternativa em Old Trafford porque permite a Ferguson escalar Kagawa, Rooney, van Persie e, quando for o caso, um atacante extra ao mesmo tempo. Além disso, a falta dos pontas tem sido compensada pelos avanços do lateral-direito Rafael, que, apesar das peripécias nos Jogos Olímpicos, começou muito bem a temporada.

RvP e Kagawa oferecem novas opções

Ainda assim, há outros pontos a considerar. A opção pelo diamante tem a ver também com a trágica atuação em St. James’ Park na temporada passada, quando o United foi derrotado por 3 a 0 numa partida completamente dominada por Tioté e Cabaye. Desta vez, o United mandou prender e soltar no centro do meio-campo e correu riscos pelas laterais, de onde vários cruzamentos abasteceram Ba e Cissé, sobretudo no início do segundo tempo.

O sucesso no jogo de ontem também está relacionado à fragilidade do Newcastle, que teve Harper, Santon, Perch, Williamson e Ferguson, ou seja, quatro reservas na defesa, um enorme prejuízo para Alan Pardew. Além disso, os pontas dos Magpies, Ben Arfa e Gutiérrez na formação inicial, não costumam atacar tanto os laterais adversários. Pontas mais agressivos causariam mais danos. Há menos de uma semana, houve uma partida em que o time que explorou as laterais dominou aquele que concentrou seus jogadores na faixa central: Porto 1 x 0 PSG.

As atuações recentes incentivam Ferguson a utilizar o losango outras vezes, mas essa opção certamente não é definitiva. Por exemplo, uma peça fundamental para o United nas últimas temporadas não se adapta tão bem a esse esquema: Antonio Valencia, em tese, precisa jogar pela faixa direita do campo. Muito além de apenas uma formação, a capacidade de variar seu estilo de jogo passa a ser a grande arma do Manchester United.

Autor: Tags: , , ,