Publicidade

Posts com a Tag premiership

quinta-feira, 27 de maio de 2010 Sem categoria | 13:50

MAIS UM FIGURA NA PREMIER LEAGUE

Compartilhe: Twitter

Como vocês já devem saber, o último time a garantir acesso a Premier League foi o Blackpool – via playoff. Com isso, a elite do futebol inglês ganha, na próxima temporada, uma figurinha carimbada: o técnico dos Seasiders, Ian Holloway.

Holloway foi um obscuro meio-campista de 1981 a 1999, mas como técnico já é conhecido por suas entrevistas e frases memoráveis. Há várias delas no youtube e até um livro já foi publicado.

Olly, como é conhecido, adora usar metáforas e algumas ficaram famosas:

“Colocando na linguagem masculina, se você sai à noite procurando por uma garota e consegue uma, algumas vezes ela pode ser bonita, em outras nem tanto. Nossa perfomance hoje não teria sido uma mulher muito bonita, mas pelo menos conseguimos colocá-lo no táxi (NR: lá não se dirige depois de beber). Não era a mulher mais bonita que levamos para casa, mas era agradável, muito simpática, portanto muito obrigado, vamos tomar um café”
Sobre uma vitória magra sobre o Chesterfield.

“Eu adoro Blackpool. Somos parecidos. Nós dois ficamos mais bonitos no escuro”
Sobre a cidade.

“Por que não usam câmeras? Os árbitros conseguem conversar facilmente hoje em dia. Por que não usam laptops com links que dão o veredito em cinco segundos? Um chimpanzé poderia fazer isso – sem muito treino. Ou então a gente poderia voltar à idade da pedra, agarrar uma mulher pelo cabelo, arrastá-la para a caverna, queira ela entrar ou não. Poderíamos ainda viver nessa era. Mas evoluímos, não?
Sobre arbitragem eletrônica.

“Todo cachorro tem seu dia e hoje é dia de latir! Eu só quero latir!”
Depois de conseguir acesso à Premiership

Em 2004, Holloway participou de uma série de documentários da BBC chamada Stress Test. Com a ajuda de psicólogos, Holloway procurou controlar seus acessos de fúria causados pela pressão do trabalho. Sua família era vitima constante desse tipo de comportamento. Parece que o tratamento funcionou, até demais.

QUEM SUBIU PARA A PREMIERSHIP
O campeão da Championship foi o Newcastle, seguido pelo West Brom. Nos playoffs – uma “semifinal” disputada entre os times que terminam entre 3º e 6º no campeonato -, o Blackpool (6º) derrotou o Nottingham Forest (3º e, outrora, campeão europeu) e, na “final” em Wembley, o time de Holloway bateu o Cardiff (4º, que já havia eliminado Leicester City (5º)).

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 28 de fevereiro de 2010 Sem categoria | 19:25

MUITO ALÉM DE BRIDGE E TERRY

Compartilhe: Twitter

Um final de semana, váááááárias manchetes no futebol inglês. Escolha a sua: 

–          Bridge passa reto por Terry e City atropela o Chelsea

–          Shawcross quebra a perna de Ramsey e é convocado por Fabio Capello

–          Torres e Gerrard voltam a fazer a diferença para o Liverpool

–          Falido e (virtualmente) rebaixado, Portsmouth vence fora de casa

–          Rooney é o heroi no primeiro troféu da temporada do Man United

–          Capello chama Baines e Warnock para a lateral-esquerda.

Bridge e Terry: fair-play tem limite (fotos Getty Images e AP)

Bridge e Terry: fair-play tem limite (fotos Getty Images e AP)

PREMIERSHIP

Vamos começar pelo Inglês. Tão aguardado quanto o jogo era o aperto de mão entre John Terry e Wayne Bridge. E ele não aconteceu. Bridge passou direto pelo ex-amigo e companheiro de Chelsea e Seleção, mas não sem antes lançar um breve, porém fulminante olhar. Com a bola rolando, o Chelsea sofreu uma improvável derrota em casa para o City num jogo tão estranho quanto emocionante e viu a diferença para o Manchester permanecer em apenas um mísero pontinho. O Arsenal venceu e também encostou – está a três dos Blues -, mas esse eu já disse que está fora da briga pois na hora H amarelam. A menos que a contusão de Ramsey (ler mais abaixo) faça o inverso do que fez a de Eduardo da Silva em 2008. Depois que o brasileiro-croata quebrou a perna, os Gunners, que lideravam o campeonato, despencaram na tabela. Ontem, o Arsenal venceu com gol no final. A tabela do time de Arsene Wenger também é teoricamente a mais fácil, mas mesmo assim eu não apostaria neles. 

Chelsea 2 – 4 Manchester City
Jogo estranho. O Chelsea passeou em campo no 1º tempo. Fez 1 x 0 com Lampard e dominava. O City, ridículo, nem se aproximava do gol de Hilário. Até que aos 45’, depois de Joe Cole quase marcar um golaço, Bridge deu um chutão pra frente, Mikel cabeceou para trás, de presente para Tevez. O argentino passou por Terry, deu dois cortes em Ricardo Carvalho e empatou. No 2o tempo, antes que o Chelsea pudesse retomar o domínio exercido no 1o tempo, Bellamy puxou outro contra-ataque para virar o jogo. No terceiro, culpa de Belletti. O brasileiro perdeu a bola para Barry, que caiu na área. Achei que não foi, mas o árbitro viu diferente e ainda deu vermelho para Belletti. No quarto, outro contra-ataque fulminante. Dessa vez Wright-Phillips fez a jogada e cruzou para Bellamy marcar. Shay Given, para variar, fez uns dois milagres. No outro gol, acho que Petr Cech evitaria os dois primeiros gols. O segundo do Chelsea também foi de pênalti e para mim também não aconteceu. Lampard descontou. O Chelsea jogou com nove desde os xx quando o jogo estava 4 x 1. Ballack pegou Tevez de jeito e levou vermelho.

Números de uma derrota rara:
–          O Chelsea não perdia em Stamford Bridge havia 38 jogos, desde novembro de 2008,
            Chelsea 1 x 2 Arsenal, Felipão era o técnico.
–          O City não marcava um gol em Stamford Bridge desde 2000.
–          E não vencia desde 1993.
–          Foi o primeiro double (vitórias no turno e no returno) sobre o Chelsea desde 1957.

Stoke 1 – 3 Arsenal
O Stoke mais uma vez chegou ao gol em lateral cobrado por Delap. Dessa vez foi Danny Pugh quem marcou, em seu primeiro jogo como titular. Foi Pugh também o protagonista do segundo gol do Arsenal. A bola bateu, sem querer, em sua mão e o árbitro deu pênalti, bem no final da partida. O Arsenal está agora a apenas três pontos do líder Chelsea. Mas tudo isso ficou em segundo plano. O zagueiro Ryan Shawcross chegou atrasado numa bola e acabou fraturando a perna do garoto Aaron Ramsey com um chute violento. Algo muito parecido com o ocorrido com Eduardo da Silva, exatamente dois anos atrás, aconteceu novamente. Lamentável! Como prêmio, uma hora mais tarde o zagueiro dos Potters foi convocado para a Seleção Inglesa.  

Whelan, do Stoke, tenta acalmar o galês Aaron Ramsey (foto Getty Images)

Whelan, do Stoke, tenta acalmar o galês Aaron Ramsey (foto Getty Images)

 

Shawcross leva o vermelho saiu desolado (foto AP)

Shawcross leva o vermelho saiu desolado (foto AP)

Birmingham 1 – 0 Wigan
Gol de pênalti de McFadden. Mesmo sem muito brilho, o Birmingham vai colecionando pontos. 

Bolton 1 – 0 Wolverhampton
Segunda vitória sob o comando do técnico Owen Coyle.

Burnley 1 – 2 Portsmouth
Confronto da relegation zone. O Portsmouth, que nesta semana entrou numa espécie de concordata por conta de suas dívidas, surpreendeu e conseguiu os três pontos. Não que isso ajude muito sua situação na tabela, mas melhora a auto-estima. Devido à intervenção judicial que o clube está sofrendo, a Premier League deve tirar nove pontos do Pompey e, praticamente, selar seu rebaixamento. 

Tottenham 2 – 1 Everton
O ex-desprezado Pavlyuchenko marcou seu sexto gol em quatro jogos. E o trio de croatas Corluka, Kranjcar e Modric trocou passes até o último fazer um belo gol. Os Spurs se seguram na quarta posição com o mesmo número de pontos do City, mas o time de Manchester tem um jogo a menos.

Liverpool 2 – 1 Blackburn
A última vez que Fernando Torres e Gerrard haviam começado uma partida como titulares foi em 13 janeiro contra o Reading, pela FA Cup. Ambos saíram machucados antes de começar o 2o tempo e o Liverpool perdeu. Agora, melhores fisicamente, os dois marcaram e foram fundamentais na vitória dos Reds, que ainda sonham com a vaga na Champions.  

Sunderland 0 – 0 Fulham
O goleiro australiano Schwarzer garantiu o zero no placar para o Fulham. O Sunderland está agora há 14 jogos sem vencer.

 

CARLING CUP

Ronney levanta o primeiro caneco da temporada> Tem mais? (foto AP)

Ronney levanta o primeiro caneco da temporada. Tem mais? (foto AP)

Não foi dessa vez que o upgrade que Martin O´Neill proporcionou ao Aston Villa desde sua chegada em agosto de 2006 se materializou na forma de taça. Seria a quinta na carreira do técnico irlandês, que venceu a competição como jogador do Nottingham Forest em 1978 e 1979 e como técnico do Leicester City em 1997 e 2000.

Wayne Rooney, inicialmente poupado, foi a campo pouco antes do intervalo no lugar do contundido Michael Owen e fez o que vem fazendo em abundância nessa temporada. Gol. Já são 28 em todas as competições, mas esse pode ser considerado especial, pois foi o que garantiu o título.

Milner havia aberto o placar logo aos 4´ de jogo, de pênalti cometido por Vidic em Agbonlahor – o técnico Martin O´Neill queria vermelho para o zagueiro sérvio, mas eu achei que a punição da penalidade foi castigo suficiente. Nem todo pênalti merece cartão. Michael Owen empatou depois de duas bobeadas do zagueiro Dunne. Primeiro, o irlandês perdeu a bola para Berbatov e depois, ao recuperá-la, ajeitou para o chute do inglês.

Na segunda etapa, Rooney então entrou em ação. Como sempre, a ajuda de Valência foi fundamental. O equatoriano passou pelo novo lateral-esquerdo da Seleção Inglesa (provavelmente reserva) e cruzou para a cabeçada de Rooney – foi seu quinto gol de cabeça consecutivo. Minutos mais tarde outra jogada idêntica terminaria com o mesmo Rooney acertando a trave.

RAFAEL
Rafael, único brasileiro em campo, começou como titular na lateral-direita dos Red Devils mas teve de ser substituído por Gary Neville. Ele parece que está bem mais forte do que quando começou a aparecer no time de cima do Manchester, mas tenho a impressão de que esse garoto se machuca demais. Ontem, ao que parece, teve cãibras.

Notas do Times para o Manchester:

Tomasz Kuszczak, 6
Rafael Da Silva, 5; Nemanja Vidic, 5; Jonny Evans, 5; Patrice Evra, 5
Darren Fletcher, 5; Michael Carrick, 6;
Park Ji Sung, 6; Antonio Valencia, 7; Michael Owen, 6
Dimitar Berbatov, 6

Substitutos: Wayne Rooney (Owen 42’), 7; Gary Neville (Rafael 66’); Darron Gibson (Park 85’)

E para o Villa:

Brad Friedel, 6
Carlos Cuéllar, 4; Richard Dunne, 6; James Collins, 5; Stephen Warnock, 5
James Milner, 7; Stiliyan Petrov, 5; Stewart Downing, 5; Ashley Young, 6
Gabriel Agbonlahor, 6; Emile Heskey, 6

Substitutos: John Carew (Cuéllar 80’)

 

OS CONVOCADOS DE CAPELLO 

 
Para o amistoso do dia 3 de março contra o Egito, em Wembley.

GOLEIROS
James (Portsmouth), Green (West Ham), Hart (Birmingham)

DEFENSORES
Brown (Man Utd), Terry (Chelsea), Upson (West Ham), Lescott (Man City), Shawcross (Stoke), Baines (Everton), Warnock (Aston Villa)

MEIO-CAMPO
Milner (Aston Villa), Beckham (AC Milan), Walcott (Arsenal), Lampard (Chelsea), Barry (Man City), Gerrard (Liverpool), Carrick (Man Utd), Wright-Phillips (Man City), Downing (Aston Villa)

ATACANTES
Heskey (Aston Villa), Defoe (Tottenham), Rooney (Man Utd), Crouch (Tottenham), C Cole (West Ham)

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010 Sem categoria | 00:35

OVERDOSE DE FUTEBOL

Compartilhe: Twitter

Meus caros, confesso que não estou dando conta de tanto jogo. É campeonato inglês, FA Cup, Champions League, Liga Europa. Tudo entre terça e hoje.
 
Só para não passar em branco, na terça-feira, em jogo isolado do campeonato inglês, o Manchester bateu o West Ham por 3 x 0. Dois gols do Rooney com duas assistências do Valencia. Owen também marcou o seu. E Anderson, reintegrado ao elenco depois de uma geladeira por motivos disciplinares (faltou a treinos, veio para o Brasil sem autorização…), começou jogando e, depois de 20 minutos, rompeu os ligamentos do joelho. Seis meses fora.
 
Da FA Cup eu já falei, mas para quem não viu aqui os confrontos
das quartas-de-final com jogos nos dias 6 e 7 de março :

> Chelsea x Stoke

> Fulham x Tottenham

> Reading x Aston Villa

>Portsmouth x Birmingham
Pela Champions League, o Chelsea perdeu de pouco da Inter: 2 x 1. Pior que a derrota foi a contusão de Petr Cech. O goleiro tcheco teve um problema na panturrilha e pode ficar até um  mês fora. O Chelsea vai ter que ir de Hilário no gol. Nada engraçado, não?
 

LIGA EUROPA 
 

Shakhtar Donetsk 1 x 1 Fulham
O Shakhtar, campeão do ano passado, não fez o suficiente para derrubar o time londrino. O grandalhão Brade Hangeland marcou no primeiro ataque do Fulham, aos 33 do 1º tempo, e depois disso o goleirão Schwarzer tratou de manter os ucranianos (com cinco brasileiros) longe. Jadson chegou a empatar aos 24’ do 2º, mas a reação parou por aí. Classificação heróica dos Cottagers diante de uma torcida inflamada, e histórica já que é a primeira vez que o clube chega às oitavas-de-final de uma competição europeia.

Unirea Urziceni 1 x 3 Liverpool
Mesmo saindo atrás, o Liverpool manteve o sangue frio e virou a partida. Até Mascherano fez gol. Até Babel fez gol. Até Gerrard fez gol.
 
Sporting Lisbon 3 x 0 Everton
Já os Toffees não conseguiram manter o bom desempenho do campeonato inglês e acabaram derrotados pelos portugueses.

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 6 de dezembro de 2009 Sem categoria | 11:31

MAIS PERTO DO LÍDER

Compartilhe: Twitter
A melhor participação de Robinho no jogo foi na comemoração do gol de Tevez (foto Getty Images)

A melhor participação de Robinho no jogo foi na comemoração do gol de Tevez (foto Getty Images)

Manchester City 2 x 1 Chelsea
O clássico dos bilionários árabe e russo foi jogão de gente grande, pra macho! Todo mundo bateu, todo mundo apanho, mas sempre na bola, ou quase sempre. E ninguém fica rolando no chão ou choramingando com o juiz (com exceção de Drogba – como é manhoso esse marfinense). Caiu, levanta e segue o jogo. Na partida de ontem quem bateu mais foi o Chelsea. O time levou seis cartões amarelos (número alto para os padrões ingleses) contra apenas um do City. A defesa azul inteira levou cartão, incluindo Belletti, que entrou no lugar de Ricardo Carvalho.

Mas então, falando agora da parte que inclui a bola, o City derrubou o líder do campeonato. Um empate seria o oitavo consecutivo do time de Manchester, mas a vitória veio graças a Shay Given, que defendeu um pênalti batido por Lampard a sete minutos do fim e ainda fez mais duas ou três excelentes defesas . Atrevo-me a dizer que – faz tempo que eu queria falar isso – o goleiro Shay Given é o melhor do mundo. Buffon, Julio Cesar, Casillas… todos de altíssimo nível, mas se eu tivesse que contratar um deles para o meu time (para a reserva, claro), contrataria o irlandês.

Melhor do mundo?! Thank you, Roger!

Melhor do mundo?! Thank you, Roger!

OS GOLS: Adebayor fez um contra e outro a favor. No gol contra, Given fez duas defesas e na segunda, a bola rebateu nas costas do togolês e entrou. No empate, reclamação do Chelsea já que a bola parece ter batido na mão de Richards, mas de forma totalmente involuntária. Pra mim, acertou o juiz. E no gol da vitória de Tevez, novamente achei que o juiz acertou. Ricardo Carvalho deu um chutão para a frente e, malandro, deixou o pé nas costas de Tevez. Falta e o mesmo colocou marcou contando com a bobeada de Cech.

ROBINHO: jogou praticamente os 90 minutos, novamente demonstrou muita vontade (saiu muito aplaudido pela torcida), mas fez muito pouco de produtivo. Não há nível de comparação entre o seu desempenho de hoje e a performance de Craig Bellamy no jogo do meio da semana contra o Arsenal. A única atenuante em favor do brasileiro seria a melhor qualidade da defesa do Chelsea em relação à dos Gunners. Mas ainda assim é pouco. Tanto Bellamy quanto Ireland ficaram de fora da partida por contusão.

West Ham 0 x 4 Manchester United
Passeio no parque. No Upton Park para ser mais preciso. Ajudado pela vitória dos arqui-rivais do Man City, o United diminuiu a distância para líder Chelsea para dois pontos. A vitória veio sem sustos, mas a situação da zaga do Manchester está deixando Alex Ferguson apavorado.  O técnico do Manchester teve que entrar com Gary Neville na zaga e Fletcher na lateral. Neville se machucou e Carrick teve que ir para a zaga (primeira vez na vida que ele joga de zagueiro). No final do jogo, Brown também se machucou e os Red Devils terminaram com dez em campo. Felizmente, a próxima partida (terça, contra o Wolfsburg, pela Champions) já tem o Manchester classificado, embora o empate seja necessário para assegurar a primeira colocação. Vale mencionar que Anderson jogou muito.

Arsenal 2 x 0 Stoke
Arsenal jogou pro gasto. Mesmo sem um monte de jogadores machucados (Van Persie, Bendtner, Walcott, Eduardo, Clichy, Diaby, Gibbs), os Gunners fizeram o suficiente para sair com os três pontos.

Blackburn R. 0 x 0 Liverpool
N´Gog acertou a trave, mas Kalinic perdeu um gol feito no final a partida. No final, empate justo. Sam Allardyce voltou a acompanhar seu time (das tribunas e no final do jogo, do banco) depois de operar o coração no dia 28/11. Nos Reds, a batata continua assando mais um pouco. Felizmente para Benitez, seu contrato foi renovado no começo desta temporada, caso contrário, já teria dançado.

Portsmouth 2 x 0 Burnley
Primeiros pontos de Avram Grant como técnico do Pompey. No 1º tempo, o islandês Hreidarsson, do Pompey, se jogou vergonhosamente na área e o juiz deu pênalti. O marfinense Dindane foi para a cobrança e a desperdiçou (assim como o rebote). Entretanto, ambos compensaram a lambança marcando na segunda etapa.

Aston Villa 3 x 0 Hull City
Vitória inspirada por Milner. Ele deu excelente assistência para Dunne no primeiro e fez um golaço por cobertura no segundo. Aliás, foi gol para entrar para a história. O goleiro do Hull saiu do gol, quase na lateral, e cabeceou a bola para fora. O reserva do Villa Steve Sidwell, fazendo as vezes de gandula, devolveu a bola para Agbonlahor que cobrou para Milner ajeitar e mandar por cobertura. Tudo muito rápido. Golaço! A nota triste do jogo ficou por conta da contusão de Jimmy Bullard – joelho novamente.

Milner chuta encobrindo o goleiro: assistência do reserva Sidwell (foto Getty Images)

Milner chuta encobrindo o goleiro: assistência do reserva Sidwell (foto Getty Images)

Bullard machucou de novo

Bullard machucou-se de novo

Wigan Athletic 2 x 3 Birmingham
Três gols em  onze minutos viraram o jogo para o Birmingham, que perdia por 1 x 0. Larsson marcou duas vezes de falta. A equipe de Alex McLeish continua sendo a mais surpreendente da Premier League numa improvável 8ª colocação.

Wolverhampton 2 x 1 Bolton
Os Wolves saíram na frente com gol impedido e conquistaram a primeira vitória em oito jogos. Importante, mas ainda insuficiente para livrá-los da zona de rebaixamento.

Everton 2 x 2 Tottenham
Que jogo! Os Spurs abriram 2 x 0 com Defoe e Dawson e tudo parecia definido. Mas aos 33’ e 41’ do 2º tempo, o time de Liverpool empatou com Saha (que havia entrado no lugar do apagado Jô) e Tim Cahill. Mas o herói do jogo foi Tim Howard. Palacios foi derrubado na área aos 47′ e o goleiro americano defendeu a cobrança de Defoe.

Fulham 1 x 0 Sunderland
Zamora marcou e mandou a torcida calar a boca – ela acha que os 10 gols que o atacante de 28 anos marcou nessas duas temporadas no clube é pouco.

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 17 de junho de 2009 Sem categoria | 08:53

A SELEÇÃO DA TEMPORADA

Compartilhe: Twitter

Não acho que eu tenha assistido um número suficiente de jogos na recém-concluída temporada  – só vejo aqueles que passam na ESPN, portanto vejo pouco os times menores -, mas mesmo assim, vou me atrever a montar meu “time da temporada”.

Se algum de vocês tiver argumentos convincentes contra ou a favor de algum jogador, coloque nos comentários que eu posso retificar a lista final daqui uns dois dias. Com o resultado sacramentado, os atletas vencedores serão comunicados e, mandando passagem e reserva de hotel, receberão o prêmio das mãos deste blogueiro lá na Inglaterra.


Sucesso de público e crítica: Hodgson conseguiu a melhor colocação da história do Fulham
(foto Getty Images)

Lá vai… tcharã:

GOLEIRO
Shay Given (Man City)
Trocou o Newcastle pelo Man City e não deu outra, os Magpies caíram e o City começou a subir a ponto de quase conseguir vaga na Uefa. Given ganhou vários pontos para seu clube.

DEFESA:
Glen Johnson (Portsmouth)
Grande temporada, apesar do time que joga. Vai se firmando na Seleção Inglesa em uma posição em que Fabio Capello não tem muitas opções.

Nemanja Vidic (Man United)
Tirano uma pane de duas partidas, o ponto alto do campeão foi a defesa. E Vidic foi uma muralha.

Rio Ferdinand (Man United)
Acompanhou Vidic no desempenho. Ambos garantiram um recorde invencibilidade para Van der Sar.

Patrice Evra (Man United)
Simples e eficiente. Defende muito bem, ataca com segurança.

MEIO CAMPO:
Essien (Chelsea)
Mesmo jogando pouco, mostrou que é o melhor volante do mundo. Voltou ao time e o Chelsea melhorou. Será que foi mesmo que Hiddink que arrumou a casa?

Steven Gerrard (Liverpool)
Foi o Gerrard de sempre. Não tivesse se machucado, a briga do título seria mais acirrada

Frank Lampard (Chelsea)
Dizem alguns, fez sua melhor temporada no Chelsea.

Cristiano Ronaldo (Man United)
Embora não tenha ido tão bem quanto na temporada passada, foi decisivo para o título

ATAQUE:
Wayne Rooney (Manchester United)
Para mim, o melhor dos Red Devils. Faz gols, mas não é egoísta. Tem talento, mas corre pelo time.

Fernando Torres (Liverpool)
Embora meio apagado em boa parte do campeonato e algumas contusões, fico com El Niño em vez do artilheiro Anelka.

TÉCNICO:
Roy Hodgson (Fulham)
Aqui a vitória é incontestável. Da luta para safar-se do rebaixamento no ano passado à classificação para a Liga Europa neste ano, sem escalas. E tudo isso sem estrelas no time e apesar da perda de Jimmy Bullard para o Hull.

Autor: Tags: , ,

sábado, 16 de maio de 2009 Sem categoria | 15:08

MANCHESTER UNITED, 18

Compartilhe: Twitter


Mais um caneco, o terceiro consecutivo no Inglês e também o terceiro da temporada (Premiership, Copa da Liga e Mundial Interclubes) (foto Getty Images)

Como se diz na fórmula-1, foi na ponta dos dedos, mas o Manchester ficou com o 18º título de sua história. Depois de mais de três décadas, o Liverpool já não está sozinho como o maior vencedor do campeonato inglês.

O empate sem gols com o Arsenal era menos do que a torcida presente ao Old Trafford esperava, mas a festa de entrega do troféu compensou a falta de gol.

Fora uma bola na trave que Fabregas acertou aos 39 do 2º tempo, a partida teve poucas emoções. Talvez por isso o torcedor tenha se exaltado tanto quando Alex Ferguson resolveu tirar Carlitos Tevez de campo. Os já tradicionais gritos de “Argentina, Argentina” e “Fergie, Fergie, sign him up” (Ferguson, contrate-o) foram novamente ouvidos. Até algumas vaias aconteceram.


Tevez sai aplaudido: “Contrata, contrata…”, pedia a torcida (foto AFP)

Esse é o 11º título inglês de Alex Ferguson, que assumiu a equipe em novembro de 1986, após a Copa do México onde comandou a Escócia. Na época, o Manchester tinha apenas 7 campeonatos nacionais no currículo, o mesmo número que o Aston Villa tem hoje. No total, esse foi o 24º título (importante) do técnico escocês pelos Red Devils.


Sir Alex Ferguson, lenda viva do Manchester United (foto AP)

OS JOGOS DA RODADA:
> Manchester United 0 x 0 Arsenal
> Middlesbrough 1 x 1 Aston Villa
> Newcastle United 0 x 1 Fulham
> Stoke City 2 x 0 Wigan
> Tottenham Hotspur 2 x 1 Manchester City
> Bolton Wanderers 1 x 1 Hull
> Everton 3 x 1 West Ham

No domingo:
> West Brom 0 x 2 Liverpool
> Chelsea 2 x 0 Blackburn

A BRIGA PELA UEFA
(Liga Europa, na temporada que vem)

Com Aston Villa e Everton garantidos, o surpreendente Fulham deu um passo importante para conquistar seu lugarzinho no torneio continental. A equipe de Londres foi a Newcastle e bateu o desesperado time de Alan Shearer por 1 x 0. Novamente, o herói do Fulham foi o senegalês Diomansy Kamara que marcou o gol da vitória. No jogo passado, o primeiro de Kamara como titular depois de voltar de cirurgia no joelho, o atacante fez dois gols na vitória de 3 x 1 sobre o Aston Villa.

Agora,  somente outro time de Londres tem chances de passar a perna no Fulham, o Tottenham. O time do técnico Harry Redknapp contou com uma certa boa vontade do árbitro para vencer o Man City (que jogou sem Robinho e teve Elano saindo com um problema no olho ainda no 1º tempo). Defoe abriu o placar impedido no 1º tempo e Robbie Keane converteu um pênalti duvidoso, aos 40’ do 2º tempo. O resultado eliminou o City da briga.

Outro que saiu do páreo foi o West Ham, que perdeu para o Everton: 3 x 1. Com Jô sem condições de jogar a final da FA Cup por já ter jogado pelo City, Saha saiu jogando no lugar do brasileiro e fez dois gols (um de pênalti).

 

O REBAIXAMENTO

O lanterna West Brom tentou o milagre contra o Liverpool, mas não deu. É o primeiro rebaixado. O time bateu e voltou para a Championship.

O Newcastle, coitado, parece não ter jeito. Depois de conseguir vencer na rodada passada e reverter a situação a ponto de precisar somente de suas forças para se livrar do rebaixamento, o time consegue perder do Fulham em casa. Até o empate teria sido um bom resultado, já que o Hull empatou fora de casa contra o Bolton. Agora, os Magpies precisam vencer o Aston Villa (fora) e torcer por um tropeço do Hull diante do já-campeão-e-com-a-cabeça-totalmente-voltada-para-a-final-da-Champions-League Man United. Se empatarem, só a derrota do Hull salva o Newcastle.

O empate do Boro contra o Aston Villa ainda mantém as chances do time de permanecer na Premiership, mas só matematicamente. Na prática, já era. O time precisa de uma vitória por boa margem de gols contra o West Ham (fora) e torcer por derrotas de Hull e Newcastle.

 

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 15 de maio de 2009 Sem categoria | 21:06

FAÇAM SUAS APOSTAS

Compartilhe: Twitter

Faltando duas rodadas para o fim do campeonato, veja quem pega quem.

A BRIGA PELO TÍTULO (praticamente decidida)

MANCHESTER (precisa de um empate em um dos dois jogos)
Arsenal (em casa)
Hull City (fora)

LIVERPOOL
West Bromwich (fora)
Tottenham (em casa)

A BRIGA PELA CHAMPIONS LEAGUE (decidida)

Manchester, Liverpool, Chelsea e Arsenal

A VAGA DA UEFA (que se chamará LIGA EUROPA no próxima temporada)

Villa e Everton (garantidos)

FULHAM (50)
Newcastle (fora)
Everton (em casa)

TOTTENHAM (48)
Manchester City (em casa)
Liverpool (fora)

WEST HAM (48)
Everton (fora)
Middlesbrough (em casa)

MAN CITY (47)
Tottenham (fora)
Bolton (em casa)

REBAIXAMENTO

SUNDERLAND (36)
Portsmouth (fora)
Chelsea (em casa)

NEWCASTLE (34)
Fulham (em casa)
Aston Villa (fora)

HULL CITY (34)
Bolton Wanderers (fora)
Manchester United (em casa)

MIDDLESBROUGH (31)
Aston Villa (em casa)
West Ham (fora)

WEST BROM (31)
Liverpool (em casa)
Blackburn (fora)

Acredito que não vai dar zebra. No final da última rodada, o Fulham vai estar na Uefa e West Brom, Boro e Hull vão estar na Championship.

Autor: Tags:

domingo, 10 de maio de 2009 Sem categoria | 22:27

FALTAM 180 MINUTOS

Compartilhe: Twitter


Cristiano Ronaldo ficou “magoadinho” com sua substituição (foto AP)

Manchester United 2 x 0 Manchester City
Uma vitória do City colocaria um pé do time na Uefa e atrapalharia o arqui-rival na briga pelo campeonato. Mas em campo, o City foi o mesmo que tem sido nos jogos fora de casa em toda a temporada. Com um gol de falta de Cristiano Ronaldo e um belo gol de Carlitos Tevez, os Red Devils mantiveram os três pontos de distância para o Liverpool (com um jogo a menos, a ser disputado nessa quarta contra o Wigan). A curiosidade do jogo foi o ‘chiliquinho’ do português quando foi substituído. A única explicação que encontro para a atitude do rapaz é o fato de estar brigando pela artilharia.


Contra o City, Carlitos jogou muito e fez um belo gol. Antes da partida, porém,
ele anunciou que deve sair ao final da temporada, para desespero da torcida
que o idolatra. Em Old Trafford, no primeiro bom lance de Carlitos na partida, 
já se ouve
: “Argentina, Argentina…”. 


Arsenal 1 x 4 Chelsea
O clássico que poderia ser a disputa de terceiro e quarto da Champions League terminou com um placar enganoso e o fim da invencibilidade de 21 jogos do Arsenal na Premiership. Os Gunners mostraram por 28 minutos aquele futebol que é capaz de produzir em raros momentos. Muita velocidade, toque de bola rápido, um Fabregas onipresente e um Walcott endiabrado. Mas aí o zagueiro brasileiro do Chelsea, Alex, subiu mais que a defesa e colocou o Chelsea na frente. Os meninos do Arsenal murcharam. Onze minutos depois, Anelka ampliou com um chute que poderia ser defendido por Fabianski. Para piorar as coisas, Toure marcou contra aos 4’ do 2º. Depois disso, o Arsenal voltou a mostrar o futebol do começo do jogo e foi perdendo um gol atrás do outro. Única exceção para uma cabeçada de Bendtner que descontou para os Gunners. O segundo gol parecia mais provável, mas foi o Chelsea que marcou o quarto e acabou com a reação do Arsenal. 

West Ham 0 x 3 Liverpool
Dois gols de Gerrard (um deles no rebote de um pênalti que ele mesmo perdeu). O número 8 do Liverpool chegou a 23 gols nessa temporada. Fora isso, nada a comemorar. As chances do Liverpool são remotíssimas. O West Ham, do técnico Zola, ficou para trás na briga pela Uefa.

Blackburn 2 x 0 Portsmouth
A chegada de Sam Allardyce estabilizou a equipe e, com mais essa vitória, os Rovers estão livres do rebaixamento. O Pompey ainda corre (pequeno) risco.
 
Bolton 0 x 0 Sunderland
O goleiro Marton Fulop garantiu um precioso pontinho para o Bolton com uma grande defesa nos acréscimos. Com isso, o Bolton está garantido na Premiership. Já o Sunderland, que jogou melhor, continua a perigo.
 
Everton 0 x 0 Tottenham
Mais um clean sheet de Gomes (embora ele tenha soltado uma bola no pé de Jô) e o Tottenham agora briga com o Fulham pela classificação na Uefa. Lembram quando os Spurs carregavam a lanterna?
 
Fulham 3 x 1 Aston Villa
O senegalês (nascido na França) Kamara marcou duas vezes na tranquila vitória do time londrino. A duas rodadas do final do campeonato, o Fulham é, com certeza, o time revelação dessa temporada. Se o campeonato terminasse hoje, o clube de Al Fayed disputaria a Uefa em agosto.
 
Hull 1 x 2 Stoke
Mais uma derrota do Hull, outra equipe que chegou a surpreender até a metade do campeonato, mas depois derreteu. Foram apenas duas vitórias nos últimos 26 jogos. Se o Newcastle vencer nessa segunda, os Tigers entram pela primeira vez na zona de rebaixamento. Lembram quando o Hull chegou a ficar na zona de classificação da Champions? O Stoke, um ex candidato ao descenso, está matematicamente salvo.


VALE TUDO – O Hull posicionou as placas de publicidade mais perto do campo
para diminuir espaço do homem-estilingue Rory Delap na hora do lateral.

 
West Brom 3 x 1 Wigan
O rebaixamento do West Brom parecia sacramentado, mas com mais essa vitória, uma luz surgiu no fim do túnel. Com duas vitórias (contra Liverpool (c) e Blackburn (f)) a equipe pode se salvar. Seria um milagre.
 

 

 

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 15 de março de 2009 Sem categoria | 14:28

QUE SEMANA!

Compartilhe: Twitter


Depois de enfiar quatro no Real Madrid pela Champions League no meio da semana,
o Liverpool faz mais quatro no Man United, em Old Trafford! (foto AP)

O improvável resolveu dar uma passada em Old Trafford, ontem. Cinco gols em um clássíco como esse é raro. Quatro gols na defesa do Manchester (que até então havia levado apenas 12 nos 27 jogos do campeonato), em pleno Old Trafford, e de virada! Tudo muito estranho.

Vocês já sabem que o futebol tem esses dias em que tudo dá certo para um lado e tudo errado de outro. Esse balanço da sorte pode ser empurrado pelo fator craque. Em condições normais de uma partida de futebol, o Liverpool dificilmente sairia com a vitória, mas quando você tem Fernando Torres e Gerrard, mesmo que seu time não seja uma maravilha, tudo pode acontecer. E quando o melhor zagueiro do mundo – ok, Vidic pode não ser o melhor mas é certamente um dos três melhores – está num péssimo dia, a coisa fica ainda mais fácil.

O jogo transcorria normalmente até os 27’ do 1º tempo. Manchester 1 x 0, gol de Cristiano Ronaldo, de pênalti cometido por Reina sobre Park, indiscutível. O básico. Foi quando El Niño aproveitou uma rara bobeada de Vidic para fazer o primeiro. Logo em seguida, outra vez o espanhol colocou Gerrard na grande área em condições de sofrer pênalti de Evra. O inglês, além de sofrer esse pênalti e convertê-lo, sofreu a falta que originou a expulsão de Vidic e o terceiro gol do time.


Vidic derruba Gerrard e a partida acaba (foto AP)

Esse terceiro gol foi o momento chave da partida. Um pouco antes, Ferguson havia colocado em campo, Scholes, Berbatov e Giggs ao mesmo tempo, um tipo de substituição que Rafa Benitez não pode se dar ao luxo de fazer. O Manchester certamente iria pressionar mais e um empate seria a aposta mais lógica. Mas antes disso acontecer, Gerrard conseguiu escapar em direção ao gol e Vidic preferiu segurá-lo. Vermelho para o sérvio e gol na cobrança precisa de Fábio Aurélio, deixando Van der Sar estático. A partir daí, o jogo ficou na mão dos visitantes. O quarto gol saiu com Dossena, mas poderia ter saído antes com Gerrard.

Depois do empate do Liverpool em casa com o City (em 22/2) e da derrota fora para o Blackburn (em 28/2), eu e meio mundo já dizíamos que o título estava decidido. E agora, com a vitória do Liverpool sobre o Manchester, o que mudou? Na minha modesta opinião, nada. O campeonato vai ser decidido matematicamente uma rodada mais tarde, mas já é dos Red Devils. A diferença caiu para quatro pontos com o Manchester tendo um jogo a menos, mas o time de Ferguson precisaria perder mais sete pontos em nove jogos. Difícil, já que os três pontos de ontem foram os únicos que o time perdeu nos últimos 36 disputados. Creio que só uma crise de pânico do Manchester faria com que a taça fosse para Liverpool ou Chelsea.

 

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 5 de março de 2009 Sem categoria | 00:37

FALTAM 10 RODADAS

Compartilhe: Twitter


Van der Sar acabou com sua série invicta em grande estilo (foto AP)

Depois de 1.311 minutos, ou mais de 21 horas, ou mais de 14 jogos, ou quase quatro meses, ou desde 8 de novembro, acabou a invencibilidade do goleiro do Manchester United  Van der Sar. E o holandês encerrou o jejum em grande estilo: com um vistoso frango, daqueles que o goleiro fica só com as penas na mão. Van der Sar não segurou uma bola fácil e a rebateu nos pés do jogador Peter Lovenkrands, do Newcastle.  Mas, como é sabido, alegria de pobre dura pouco, os Red Devils acabaram virando o jogo e mantiveram a confortável distância de sete pontos para o vice-líder Liverpool.

Com o gol tomado, Van der Sar perdeu a chance de quebrar o recorde europeu de invencibilidade que era de Danny Verlinden, do Bruges. Em 1990, Verliden ficou 1.390 minutos sem ter suas redes balançadas.

Jogos de ontem:
NEWCASTLE 1 X 2 MANCHESTER UNITED

O Newcastle dificultou bastante as coisas para o time de Alex Ferguson. Obafemi Martins foi um perigo constante e quase fez 2 x 0 no começo do jogo. Rooney e Berbatov marcaram para o Manchester.

MANCHESTER CITY 2 X 0 ASTON VILLA
Sem Robinho e Craig Bellamy, machucados, o City se recuperou da derrota do final de semana. Elano marcou um de pênalti. A fase do Aston Villa é essa: em um mês foi eliminado da FA Cup, da Uefa, perdeu em casa para o Chelsea (onde perdeu também a terceira posição da tabela), cedeu o empate para o Stoke num jogo que vencia por 2 x 0 até os 43´do 2º tempo e agora, para completar, mais essa derrota. Com isso o Arsenal está chegando. São somente três pontos de diferença.

STOKE CITY 2 X 0 BOLTON
Cinco pontos em três jogos afastaram um pouco o Stoke da zona de rebaixamento. Beattie, que chegou em janeiro do Sheffield United, marcou seu 5º gol em 7 jogos. O Bolton continua na midtable obscurity.

WIGAN ATHLETIC 0 X 1 WEST HAM
Foi a 2ª vitória consecutiva dos Hammers, mas isso não muda muita coisa. Para nenhum dos dois. Carlton Cole levou amarelo aos 28’, marcou aos 34’ e foi expulso ao 37’. Tudo  no 1º tempo.

BLACKBURN 0 X 0 EVERTON
Empate pior para o Blackburn que continua na zona de rebaixamento.

FULHAM 0 X 1 HULL CITY
Finalmente uma vitória do Hull – a primeira depois de 11 jogos – e com gol nos acréscimos, de Manucho.

TOTTENHAM  4 X 0 MIDDLESBROUGH
Depois de complicar a vida do Liverpool no fim de semana, o Boro voltou ao seu normal. Do lado dos Spurs, nada de ressaca com da derrota na Carling Cup. Robbie Keane marcou seu primeiro gol depois do retorno ao time, Aaron Lennon fez dois e Pavlyuchenko completou.


Robbie Keane: de volta pra casa (foto AFP)

Na terça-feira
PORTSMOUTH 0 X 1 CHELSEA

Desde que Hiddink assumiu, o Chelsea venceu os três jogos que disputou. Drogba fez o gol da vitória.

WEST BROMWICH 1 X 3 ARSENAL
Jogo histórico: Bendtner conseguiu marcar duas vezes. Depois de cinco empates consecutivos – sendo os quatro últimos em 0 x 0 – os Gunners finalmente marcaram e venceram.

LIVERPOOL 2 X 0 SUNDERLAND
Num jogo de apenas 16 faltas (10 do Liverpool), o destaque foi o garoto de 19 anos David Ngog. Foi a primeira vez que o francês começou jogando na Premiership e a primeira vez que balançou as redes. O título por outro lado, continua loooooonge. O WBA segue firme na lanterna.
 

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última